05/05/2015

” Parar de fumar antes da gravidez fez toda a diferença”

Foto Josi e flhoSempre quis ter filhos, mas sempre que pensava mais seriamente nisso a primeira coisa que me ocorria era uma terrível angustia, uma ansiedade em pensar como seriam os nove meses sem fumar. Eu fumava bastante há quinze anos e se nove meses sem fumar já me pareciam impossíveis, não conseguia imaginar como seria depois, com um bebê em casa. Pra ser sincera ficava imaginando maneiras para fumar fora de casa (meu marido não fuma e detesta cigarro), como disfarçar o cheiro do cigarro, porque achava mesmo impossível não voltar a fumar mesmo se conseguisse ficar os nove meses sem acender um cigarro.

Só que a vontade de ser mãe foi aumentando cada vez mais, e esta angustia quanto ao cigarro aumentava junto. Estava prestes a completar 30 anos e resolvi testar como seria ficar sem o cigarro antes de engravidar, pois se não conseguisse pelo menos não iria prejudicar meu filho. Fui para um Spa no dia que completei 30 anos, para me esconder de tudo que eu pensava que poderia me induzir ao cigarro, e consegui ficar sem fumar lá por 10 dias, mas quando saí de lá a angústia era ainda pior.

No dia seguinte, descobri então o tratamento Vivalivre do tabagismo e fui conversar com a Dra Ana Luiza, que me ajudou muito a ficar livre da dependência do cigarro de uma maneira leve. Lembro que durante o tratamento muitas vezes me passava pela cabeça “Mas como pode ser fácil assim?”, “Que horas vai bater o desespero pelo cigarro?”, mas o tempo foi passando e eu vi que realmente era possível não só ficar sem fumar, mas ficar SEM VONTADE DE FUMAR, o que pra mim parecia incrível!

Terminado o tratamento resolvi que era hora de engravidar, o que não demorou para acontecer. Nasceu um menino lindo e saudável, o José Antônio. e daí sim me dei conta de quanto tinha sido importante aquela decisão de parar de fumar. Enquanto amamentava, um momento tão mágico, me passava pela cabeça como faria aquilo se estivesse fumando.

Quando abraçava e beijava aquele bebê tão cheiroso, não conseguia imaginar fazendo aquilo cheirando a cigarro.

A decisão de parar antes da gravidez, e não deixar para parar quando estivesse grávida, fez toda a diferença. Durante a gravidez pude curtir e me concentrar no bebê que estava por vir, sem ansiedades e preocupações relacionadas ao tabagismo, além de ter uma gestação muito mais saudável.

Hoje o José Antônio está com quase dois anos e cada vez que olho para ele crescendo saudável, a cada abraço ou beijo que ganho, agradeço por ter tomado a decisão de parar de fumar alguns anos atrás. Ser mãe é algo extraordinário, difícil de explicar, e sem esta decisão talvez esta história não tivesse este mesmo final feliz

Voltar

Escreva um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.